Desafiando o império positivista na prática da internacionalização da educação superior

A ideia de decolonizar a universidade e seu modo de inserção internacional faz parte do projeto mais amplo de busca por justiça social e econômica.

Educação superior, universidade e internacionalização coloniais As interpretações dominantes do mundo em determinada época facilitam, possibilitam e validam as transformações sociais conduzidas pelos grupos hegemônicos. Notadamente, a expansão mundial do sistema capitalista não teria se concretizado sem a legitimação dos princípios de apropriação e exploração conferidos pela ciência moderna e sua diferenciação hierárquica radical entre humanidade e natureza ou sujeito e objeto. A universidade é simultaneamente produtora e produto desse projeto civilizatório. Suas divisões disciplinares, seus modelos teóricos e suas histórias eurocentradas consagram o padrão de poder capitalista/moderno/colonial. Do mesmo modo, trata-se de uma instituição cujas práticas se alimentam do modo binário pelo qual o conhecimento é majoritariamente produzido e organizado. É nesse sentido que a “internacionalização da educação superior” […]

La mordaza colectiva

Los gobernantes necesitan acallar las voces y aplican todo su poder para lograrlo.

Las estratagemas de los círculos de poder de corte fascista pasan por encima de los derechos civiles, aplastan los textos constitucionales, rompen el delicado tejido de los valores humanos y terminan por transformar a las sociedades en enormes masas de seres temerosos del abuso y de la violencia institucionalizada. Al final, ante ese ambiente de incertidumbre las sociedades terminan por aceptar un nuevo estado de cosas en donde su voz no incide. Las dictaduras de hoy tienen un efecto psicológico abrumador, pero sobre todo un efecto letal en la confianza respecto de los sistemas democráticos. ¿En qué momento y cómo se ha debilitado la voz del pueblo? ¿Cómo se ha permitido semejante nivel de amedrentamiento contra sociedades cuyos objetivos parecen […]

A armadilha da competição entre instituições universitárias

À medida que os rankings acadêmicos globais excluem de seu escopo funções universitárias, tradições e especificidades contextuais distanciadas da lógica cultural eurocentrada e de seus interesses particulares, eles não somente “privilegiam os já privilegiados”, como também silenciam epistemologias, práticas e modos de existência.

Se a educação superior contemporânea pudesse ser sintetizada a partir de suas tendências mais recentes, tal síntese incluiria aspectos como a redução global do financiamento público para as instituições universitárias; as pressões para o isomorfismo em termos de forma de construção e disseminação do conhecimento, de modelo institucional, de estrutura curricular e de idioma; o predomínio da ideia de formação universitária voltada a suprir as necessidades instrumentais do mercado mundial de trabalho capitalista, além da acentuada ênfase na produção de conhecimento útil à indústria. Em grande medida, tais tendências resultam da proliferação e do aprofundamento de imperativos mercadológicos na totalidade do setor. Inscritas na conjuntura socioecômica mais ampla do neoliberalismo, configuram-se como distintas, porém entrelaçadas manifestações de “capitalismo acadêmico”. Se articulam, […]

No hay democracia sin disenso con las instituciones

La educación formal, no formal e informal en nuestro país está diseñada para evitar el disenso, la confrontación de ideas, la creatividad; en otras palabras, para no pensar por cuenta propia.

“Perseo se envolvía en una capa de niebla para perseguir a los monstruos. Nosotros nos tapamos con nuestro embozo de niebla los oídos y los ojos para no ver ni oír las monstruosidades y poder negarlas”1Karl Marx, El capital, Tomo I, Buenos Aires, Cartago, 1956, p. 6. En plena época del sucursalismo intelectual2Sucursal quiere decir agencia u oficina que depende de otra que es la central. Intelectual es alguien que dedica parte de su tiempo vital a pensar los problemas de la realidad para buscar posibles soluciones. Uniendo ambas definiciones, sucursalismo intelectual significa pensamiento que depende de otro que es considerado el central. La frase sucursalismo, según Enrique Dussel, lo escuchó al filósofo uruguayo Carlos Pereda, quien la usa para […]

Uma ou duas vezes por mês eu sou convidado para emitir pareceres sobre textos de terceiros para revistas científicas. Faço isso desde quando conclui um mestrado. Inicialmente era feito apenas em revistas de graduação, mas posteriormente passei a receber pedidos de outras revistas. No começo eram apenas na área de antropologia, porém depois apareceram pedidos de revistas de direito, educação, história e sociologia. Normalmente são textos que cruzam a área de origem com certa bibliografia que é categorizada como antropológica. Em alguns casos eu recusei a possibilidade de emitir um parecer por óbvia incapacidade. Faz algum tempo – não sei (diria que não quero) precisar quanto, eu fui convidado para emitir um parecer para uma revista, daquelas que só aceitam […]

Más allá de las palabras

Los libros son pequeños universos en donde a veces nos perdemos.

Algunos de los recuerdos más poderosos de mi infancia tienen que ver con libros. Nací en una casa en donde abundaban y de padres cuyas preocupaciones, muy alejadas del contenido de las lecturas de sus hijas, nos daban total libertad; por eso, quizá, pude encontrarme con autores como Dostoievski a una edad ridículamente corta. Por eso también me adentré en un mundo fantástico en donde –aun sin comprenderlo- tuve contacto íntimo con las infinitas rutas del lenguaje, una aventura capaz de marcar mi vida para siempre. Los libros me han acompañado desde entonces y tengo algunos tan antiguos como para deshacerse entre mis manos; pero son tesoros capaces de cambiar no solo un estado de ánimo, sino también una perspectiva […]