Golpeada a proposta de um bloco soberano na América Latina

Com essa decisão dos países aliados aos EUA, incluindo aí o Brasil de Temer, voltamos, outra vez, ao começo e estamos, de novo, bem longe de sermos uma Pátria Grande, forte, livre e soberana.

A generosa ideia de Hugo Chávez, inspirada em Bolívar, de criação da União das Nações Sul-americanas (UNASUL) está se esboroando. Com a decisão de Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Peru e Paraguai de saírem da organização, a construção de um bloco de poder autônomo e soberano perde força. E, perdendo força, cresce o poder dos Estados Unidos sobre os países do sul, voltando, mais uma vez, a proposta de recolonização da “américa baixa”. Tudo isso com o apoio incondicional das classes dominantes de cada país, sempre dispostas a trair os interesses da maioria da população em nome de ganhos pessoais e/ou de seus parceiros. Não é sem razão que países como Brasil e Paraguai sofreram golpes, e a Argentina tenha se […]

E o Lula foi para a prisão…

A luta seguirá e tomará o rumo que a conjuntura apontar. Por enquanto é de resisitência pacífica.

A ordem de prisão emitida pelo juiz Sérgio Moro contra Luís Inácio Lula da Silva teve vários efeitos na sociedade brasileira e levantou diversificados cenários para o futuro. Trataremos de apontar alguns elementos para análise dessa conturbada conjuntura brasileira. O primeiro deles é a própria ordem da prisão. Foi emitida antes mesmo que todos os recursos legais fossem exauridos. Provavelmente Lula perderia em todos, mas teria sido importante seguir os caminhos que o sistema jurídico garante. Não. Havia pressa demais para garantir a tão sonhada cena – por parte dos inimigos do PT – de Lula sendo preso. Lula mexeu as peças do tabuleiro numa jogada inteligente. Foi para a sede do Sindicato dos Metalúrgicos, em São Bernardo, seu berço […]

Sobre a conjuntura, fascismos e golpes

Talvez não tenhamos mesmo as condições materiais e históricas para um regime fascista no Brasil. Mas isso não significa que não tenhamos de conviver com movimentos pontuais e atitudes fascistas.

Não pretendo falar do julgamento do STF sobre o Habeas Corpus de Lula. Não é isso que interessa. Julgo que todo o processo que envolve as denúncias contra o ex-presidente tem vício de origem, logo não deveria ter chegado até esse ponto no qual chegou, com duas condenações absurdas, de nove e depois expandida para 12 anos. No campo do direito, não são poucos os juristas que apontam a inconsistência nas provas contra Lula. E, se um dos princípios basilares da lei burguesa é a presunção de inocência, não teria motivo de ser diferente só porque o acusado é um ex-presidente. Logo, o julgamento é político. Não faltará quem jogue na cara: então tu apoias a corrupção do Lula? Não, […]

Direito à comunicação e à informação veraz? Não no capitalismo

Quase como uma lavagem cerebral. A informação vai passando como uma dose a mais de droga, mas nunca é suficiente.

Uma coisa precisa ficar muito clara. No modo capitalista de produção não há espaço para o direito à comunicação das gentes. Desde que se consolidou, esse sistema busca, na comunicação massificada, apenas uma forma de manipular as informações e formar consciências mansas para a dominação e capazes de consumir as mercadorias desnecessárias que o sistema produz. Lá nos albores do capitalismo o escritor francês Honoré de Balzac, no seu livro Ilusões Perdidas, descreveu muito bem o papel da imprensa, como um espaço de mentiras e de destruição, não apenas da informação em si, mas do próprio jornalista. Naqueles dias, era o jornal o veículo que cumpria a função de informar e, ainda que a alfabetização fosse coisa para poucos, as […]

Dia de Mulheres

A marcha chegou ao palácio presidencial e as gentes colocaram fogo nele. Também atearam fogo nos prédios dos ministérios que ficam em volta. De dentro dos edifícios jogavam mesas, cadeiras, computadores.

Sempre que a vida pesa e a luta chama, recorro à imagem de dona Vivi, uma mulher boliviana que conheci em janeiro de 2004, na cidade de La Paz. Acontecia uma greve da força policial e junto com ela manifestações massivas contra um pacote de impostos decretados pelo então presidente Sanches de Lozada. O governo chamou o exército e os conflitos se espalharam com extrema violência. Todas as estradas estavam fechadas, ninguém entrava ou saia de La Paz. Eu estava numa pensão perto da rodoviária e lá acompanhei o terror que foram aqueles dias. Na mesma pensão estava dona Vivi. Viera da cidade de Oruro com o marido, mineiro, para tratamento médico. Devia andar aí pelos 70 anos, bem magrinha, […]

Sobre o trabalho e o trabalhador

O trabalho, no mundo capitalista, não é a ação do homem sobre a natureza para criar algo que é útil para seu uso, como foi ao longo dos tempos em que uma pessoa detinha todo o conhecimento sobre como produzir algo.

Para o capital, o trabalhador é um não-ser. E, não sendo, não precisa de cuidado, nem de nada. Sua função, nesse modo de produção, é gerar lucro para um grupo muito pequeno da sociedade. E ponto final. Se ele morre, outro o substitui. É uma peça na máquina. Uma mercadoria, como outra qualquer, que pode ser adquirida a preço muito baixo. Karl Marx mostrou muito bem como a coisa funciona. No começo do capitalismo a jogada foi singela: acenar com a ideia de liberdade. Se tivesse uma “Rede Globo” naqueles tempos, o William Bonner da época diria: “Aceite feliz a sua expulsão do campo. Agora, tu vais ser livre. Não precisarás mais trabalhar três dias para o dono da terra, […]