Uruguai, por que perdeu a Frente Ampla?

Uma das grandes falhas do governo da Frente Ampla foi não ter investido seriamente na organização popular autônoma, oferecendo ferramentas para uma participação direta da população na vida do país e nas decisões importantes.

Por que perdeu a frente ampla

A derrota da Frente Ampla no Uruguai, depois de 15 anos governando o país, é mais um episódio dentro da longa luta que se trava na América Latina para superar a dependência e o subdesenvolvimento. Poucos dias depois de um golpe na Bolívia sacar do governo a dupla Evo/Linera, de marca progressista, muita gente se surpreendeu de que os uruguaios também tirassem, nesse caso pelo voto, um governo que tantas transformações positivas trouxe ao país. Mas, uma mirada mais aguçada para a realidade concreta de cada um desses países mostra que os governos, apesar de avançarem em questões importantes, não conseguiram aprofundar o caminho das mudanças estruturais, as que realmente transformam a vida cotidiana de toda a gente e a […]

Morremos sempre, mas levantamos

Aos que não têm nem a máquina ideológica, nem as forças da repressão, resta juntar-se e, a partir daí, lutar.

Bolivia com Evo

Quem estuda história sabe. Desde os tempos mais remotos, quando o ser humano decidiu dividir-se em classes, há os que dominam em nome de suas demandas particulares e os que são dominados, geralmente conformando a maioria. Nem sempre foi assim, certo? Houve uma infinidade de povos que existiram em sociedades livres, comunitárias, de mando compartilhado, cooperativo, nas quais as demandas de todos eram levadas em conta. E até hoje podemos encontrar entre algumas nacionalidades originárias essa forma de ser e estar no mundo, ainda que ilhadas pelo capitalismo.  Dominar em nome de interesses particulares não é coisa fácil. Há que ter todo um trabalho cultural, ideológico, de disseminação de mentiras, que de tantas vezes ditas, se fazem verdades. É preciso […]

Bolívia: algumas notas para entender o golpe

Não é à toa que, hoje, toda essa histórica carga de promessas não cumpridas volta à tona, sempre fomentada pelo poder colonial, hoje representado pelos Estados Unidos. 

Golpe de Estado em Bolivia

A batalha entre a oligarquia rural de Santa Cruz e os povos originários bolivianos não é de hoje. É a marca da colônia que existe e subsiste. Desde que Evo Morales, um aymara, assumiu a presidência do país e iniciou o processo de nacionalização das riquezas, até então entregues às multinacionais, o plano para derrotá-lo foi iniciado. A nacionalização do gás já no início do governo levou a uma primeira tentativa de desestabilização e as propostas de retomada das minas e de outros setores estratégicos como a comunicação também acirraram o ódio da elite branca, capitalista na sua essência, bem como títere dos Estados Unidos. Foi por isso que em 2008, também desde Santa Cruz foi alavancada uma campanha separatista, […]

Censura e Espionagem: o AI-5 que já está aí

Agora, no governo de Jair Bolsonaro, o deputado José Medeiros propõe uma mudança na Lei do Marco Civil da Internet, estendendo a vigilância e o monitoramento dos movimentos sociais e pessoas “suspeitas” para os provedores de Internet.

Partidos extintos e garantias suspensas

Quando em 2001 os Estados Unidos foram supostamente atacados por terroristas árabes que destruíram as torres gêmeas num atentado devidamente filmado por vários ângulos, o mundo ficou estarrecido. Durante semanas só se ouvia falar nisso. O terrorismo havia se infiltrado nos Estados Unidos destruindo os prédios e matando mais de três mil pessoas. Foi uma comoção geral. O acontecido serviu muito bem aos interesses do governo do então presidente George Bush que imediatamente autorizou a invasão do Afeganistão, onde, também supostamente, estaria Osama Bin Laden, acusado como o responsável pelo ato de terrorismo. Mais tarde soube-se que Obama não estava lá, mas não tinha mais importância. O Afeganistão estava fora da órbita da Rússia, e os Estados Unidos estão lá […]

O Brasil, o imobilismo institucional e a luta que brota

A tendência é o aprofundamento das contradições e da luta de classe. Isso leva os trabalhadores para a luta e a luta pode abrir caminhos grandiosos.

A luta que brota no Brasil

O Brasil vive um descompasso entre o que acontece nas redes sociais e a vida real. Nas bolhas internéticas há uma gritaria geral sobre os desmandos da família que hoje comanda o Brasil. Um deles, que gerou uma infinidade de postagens foi o do presidente da nação que, acusado de ter autorizado a entrada do assassino da vereadora Marielle Franco no seu condomínio, no dia do crime, simplesmente foi lá e pegou os registros telefônicos alegando que o fazia para evitar que fossem adulterados. Por incrível que possa parecer, apesar dos protestos nas redes, isso não foi motivo para qualquer ação da justiça brasileira. No dia da denúncia, um dos filhos do presidente, Carlos, também apresentou uma cópia dos registros […]

Os brasileiros por conta própria

Não há absolutamente nada que se possa esperar do Estado. Muito menos do sistema que o sustenta e que alguns chamam de “democracia”.

Oleo vazado no nordeste Brasil

As cenas no nordeste são de arrepiar. O óleo vazado dos navios da Shell chegando a mais de 180 pontos de praia. E nenhuma ação do governo brasileiro para conter o desastre. O presidente chegou a dizer que o país não tem responsabilidade alguma, logo, nada fará. Está brincando de rei no Japão. E, como o governo acabou com o Comitê que trabalhava na contenção de desastres, não há qualquer política de ação. Enquanto isso, as gentes que vivem nas cidades afetadas estão tirando o óleo da praia do jeito que dá, com apenas sua intuição e desejo de vencer o drama. Quando o dejeto chega à praia, eles enrolam com as próprias mãos e colocam dentro de sacos plásticos, […]