“Manifest”: a música como contestação ao Massacre do Carandirú

Este artigo tem por objetivo analisar sociologicamente a poética de contestação social expressa na música “Manifest” lançada no ano de 1993 no álbum intitulado “Chaos A.D.” da banda de rock metal brasileira Sepultura. A referida composição versa sobre o assassinato de 111 detentos da Casa de Detenção de São Paulo pela polícia militar do estado de São Paulo ocorrido no ano de 1992. Esse acontecimento ficou conhecido como “O massacre do Carandirú” e evidencia as violentas ações muitas vezes perpetradas por agentes públicos de segurança e o tratamento degradante ao qual é submetido parte dos detentos das penitenciárias brasileiras. Para tanto, as composições são tomadas aqui enquanto elementos simbólicos portadores de ethos pertinentes à determinada sociedade (Geertz, 2014), e, por isso, podem ser “lidas” como documentos que auxiliam no entendimento da realidade social. Metodologicamente, o texto inspirou-se no trabalho de Deena Weinstein (2000) que propõe analisar o heavy metal a partir de três dimensões: Dimensão Sonora, Dimensão Verbal e Dimensão Visual. Nesse sentido, para além da referida música, outros elementos – imagens do encarte do álbum, matérias jornalísticas e entrevistas com músicos e ex-músicos da banda –, serviram de dados ao estudo aqui apresentado.

FARCs entregam armas e seguem no caminho da paz Agora, mediado pela ação do governo cubano, o estado colombiano e as FARCs acertaram um acordo de paz, que envolve muito mais do que entregar as armas.

Essa semana os jornais do mundo inteiro deram a notícia de que, por fim, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, as FARCs,  entregaram as armas, e que isso consolida o início do processo de paz no país. Isso é uma meia verdade. Toda a estrutura de violência gerada pelo estado e pelos chamados paramilitares segue …

Agronegócio avança sobre a Amazônia A lei tem um único objetivo. Tornar legal a criminosa apropriação feita pelos grandes fazendeiros.

O Brasil vive uma grande crise política, mas para os deputados no Congresso Nacional, nada está acontecendo. Surdos a toda mobilização popular que questiona a legitimidade do governo Temer e acusa mais de 300 parlamentares de corrupção, os legisladores seguem com a farra de benesses para os seus financiadores. A conhecida “bancada do boi”, na …

Napë. Relações sociais múltiplas e interseccionais.

O nascimento e as escolhas I II Como o Sir James George Frazer,eles são capazes do uso do equívoco como forma de ciência. Relacionam o impossível: Do sono definido pela religião ao gênero que limita os modos à mesa, até a idade sugerida ao observar um caminhar. (Márnio Teixeira-Pinto  na  primeira  aula  do mestrado em …

A nova onda de mineração e destruição nos países subdesenvolvidos

Tem sido sempre assim no sistema capitalista de produção. Se algum empresário quer realizar uma grande obra ou a exploração de recursos naturais, segue a mesma rotina. Primeiro, rouba as terras das pessoas que vivem na área, geralmente com a conivência do estado. Depois, os que conseguem ficar nas adjacências, lutando por seus direitos, são …

berta cáceres vive

o assassinato de berta cáceres aconteceu quase um ano depois de ela ter recebido o prestigioso prêmio goldman, o máximo reconhecimento mundial para ativistas dedicados a temas ambientais. mesmo tendo denunciado as muitas ameaças de morte, assim como as diversas ameaças à sua família e o assassinato de seus companheiros e companheiras de luta, berta …