odoyá, minha rainha!

oferenda não é essa perna de sofá. essa marca de pneu. esse óleo, esse breu. peixes entulhados, assassinados. minha rainha. não são oferenda essas latas e caixas. esses restos de navio. baleias encalhadas. pinguins tupiniquins, mortos e afins. minha rainha. não fui eu quem lançou ao mar essas garrafas de coca. essas flores de bosta. não mijei na tua praia. juro que não fui eu. minha rainha. oferenda não são os crioulos da guiné. os negros de cuba. na luta, cruzando a nado. caçados e fisgados. náufragos. minha rainha. não são para o teu altar essas lanchas e iates. esses transatlânticos. submarinos de guerra. ilhas de ozônio. minha rainha. oferenda não é essa maré de merda. esse tempo doente. deriva e degelo. neste dia dois de fevereiro. peço perdão. minha rainha. se a minha esperança é um grão de sal. espuma de sabão. nenhuma terra à vista. neste oceano de medo. nada. minha rainha. (texto de marcelino freire)

latitudes latinas

odoyá, minha rainha!28/01/2017

confira as canções e xs artistas desta edição

iemanjá

aloisio menezes & guga stroetter + orquestra hb cd xire reverb

a canção “iemanjá” interpretada pelo cantor aluísio menezes para o cd  xirê reverb (2011) faz parte do trabalho foi idealizado e produzido pelo músico e pesquisador guga stroeter . com o som da orquestra hb (heartbreakers), eles homenageiam  a cultura afro-brasileira. neste disco, foram selecionados cânticos dedicados aos orixás, que são entoados em terreiros de candomblé de nação ketu. para dar uma sonoridade mais contemporânea aos cânticos, foram incluídos instrumentos de sopro, contrabaixo, piano, vibrafone e recursos eletrônicos.

iemanjá, rainha do mar

maria bethânia

com letra paulo cesar pinheiro e pedro amorim, a canção “iemanjá, rainha do mar” faz parte do cd dentro do mar tem rio (2007) da cantora maria bethânia. esta canção faz uma homenagem a iemanjá, orixá feminino que tem o domínio dos oceanos e protege marinheiros e pescadores. o nome iemanjá deriva de  yeyê-omó-ejá, que significa mãe cujos os filhos são peixes.

quanto nome tem a rainha do mar?
quanto nome tem a rainha do mar?

dandalunda, janaína,
marabô, princesa de aiocá,
inaê, sereia, mucunã,
maria, dona iemanjá.

onde ela vive?
onde ela mora?

nas águas,
na loca de pedra,
num palácio encantado,
no fundo do mar.

o que ela gosta?
o que ela adora?

perfume,
flor, espelho e pente
toda sorte de presente
pra ela se enfeitar.

como se saúda a rainha do mar?
como se saúda a rainha do mar?

alodê, odofiaba,
minha-mãe, mãe-d’água,
odoyá!

qual é seu dia,
nossa senhora?

é dia dois de fevereiro
quando na beira da praia
eu vou me abençoar.

o que ela canta?
por que ela chora?

só canta cantiga bonita
chora quando fica aflita
se você chorar.

quem é que já viu a rainha do mar?
quem é que já viu a rainha do mar?

pescador e marinheiro
que escuta a sereia cantar
é com o povo que é praiero
que dona Iemanjá quer se casar.

iemanjá

cd agô – cantos sagrados de brasil e cuba
o álbum agô – cantos sagrados de brasil e cuba –  foi gravado entre havana e salvador e é fruto de um trabalho conjunto entre o grupo abaçaí, a orquestra hb e músicos cubanos. o projeto tem como proposta mostrar as origens comuns entre o candomblé brasileiro e a santeria cubana através de cantos para os orixás.

azul meu orixa

richard serraria cd pampa esquema novo
“azul meu orixá” é um ijexá, ritmo iorubá suave e cadenciado percutido com as mãos nos atabaques. no candomblé, é um ritmo tocado em reverência às orixás das águas, oxum e iemanjá. nesta canção o músico, cantor e compositor  gaúcho richard serraria propõe um ijexá com tambores de candombe.

quando clareia o dia eu vou pro mar
eu vou cantar, eu quero a beira mar
quando clareia a poesia eu vou pro mar
eu vou cantar, quem chama é iemanjá.
beijo salgado, rosto molhado, é brisa do mar
minha mãe mandou me avisar:
“cheiro do mar é hora de amar!”
eu vou cantar azul meu orixá.
janaína
até o sol, areia e o ar
o mundo todo vir(a)mar
azul é o céu, azul é o mar, azul é o meu cantar, azul iemanjá.
janaína, eu vou pro mar eu vou, na beira da praia na beira do mar,
pra ver janaína para ver iemanjá eu vou pro mar…

janaina

otto cd certa manhã acordei de sonhos intranquilos
composta em parceria com fernando catatau, pupillo e dengue, a canção “janaina”,  do pernambucano otto, faz parte do cd certa manhã acordei de sonhos intranquilos (2009). neste disco,  otto conta com as participações da cantora julieta venegas, em “saudade” e “lágrimas negras”, e da cantora céu, em “o leite”. “janaina” é uma canção-convite a participar da festa de iemanjá e a presenteá-la no seu dia. o videoclipe da canção foi gravado no bairro do rio vermelho, em salvador, no dia da festa da rainha do mar.

disse um velho orixá pra oxalá
pra acreditar
pra não temer, temer, temer
desses tempos verdadeiros
tempos maus

disse um velho orixá pra oxalá
pra acreditar
pra não temer, temer, temer
desses tempos verdadeiros
tempos maus

dia 2 de fevereiro
dia de Iemanjá
vá pra perto do mar
leve mimos pra sereira
janaína iemanjá
pra perto do mar
leve mimos pra sereia
janaína iemanjá

havia rosas no mar
havia ondas na areia

lá em rio vermelho
em salvador
vamos dançar
dia 2 de fevereiro
dia de iemanjá
leve mimos pra sereia
janaína iemanjá

disse um velho orixá pra oxalá
pra não temer
pra não temer
dia 2 de fevereiro
festa lá no rio vermelho
em salvador vamos dançar
leve mimos pra sereia
janaína iemanjá

havia rosas no mar
havia ondas na areia
vá brincar no rio vermelho
a festa de iemanjá
salvador está em festa
vou cantar
vou cantar, aaaaah

pra saudade sereia
vai brincar na areia
para acreditar

pra saudar sereia
vista de azul e branco
dia de lua cheia

agradecer e abraçar

cd agô – cantos sagrados de brasil e cuba
composta pelo mestre da música afro-baiana vevé calazans em parceria com gerônimo, a canção “agradecer e abraçar” já foi gravada por inúmeros artistas, como maria bethania e fabiana cozza.  “agradecer e abraçar” é uma canção de louvor ao mar com trechos em yorubá de cânticos entoados em terreiros de candomblé. aqui a interpretação fica por conta do grupo abaçaí e pela orquestra hb (heartbreakers) no disco agô – cantos sagrados de brasil e cuba.

abracei o mar na lua cheia
abracei o mar
abracei o mar na lua cheia
abracei o mar
escolhi melhor os pensamentos, pensei
abracei o mar
é festa no céu é lua cheia, sonhei
abracei o mar
e na hora marcada
dona alvorada chegou para se banhar
e nada pediu, cantou pra o mar (e nada pediu)
conversou com mar (e nada pediu)
e o dia sorriu…
uma dúzia de rosas, cheiro de alfazema
presente eu fui levar
e nada pedi, entreguei ao mar (e nada pedi)
me molhei no mar (e nada pedi) só agradeci

yemaya

celia cruz
nascida em santo suarez, habana, celia cruz inicia a carreira cantando em programas de rádio; depois se torna vocalista da banda sonora matancera, que marcou a história da musica afro-cubana, a qual alcança grande sucesso, sendo intitulada “la reina de la salsa” e “la guarachera de cuba” nos anos 50. com mais de 70 discos gravados, celia canta a “yemayá”, la virgem de la regla, no dançante ritmo do bembé. esta homenagem à mãe das águas faz parte do álbum la tierna, conmovedora, bamboleadora, gravado com a sonora matancera.

virgen de regla hoy es tu dia
madre de agua diosa mia
yemaya la reina eres
es para ti estos cantares
que te brindamos o
madre mia
madre mia
madre mia
madre mia
yemaya
ohhhoho viva yemaya
yemaya hee oloto aboyo yemaya
yemaya hee oloto aboyo yemaya
eee yemaya hee oloto aboyo yemaya
yemaya hee oloto aboyo yemaya
eee yemaya oooo oloto aboyo yemaya
yemaya hee oloto aboyo yemaya
piare ke te piare pia piare ke te piatuko piare ke tolo mitara oo oloto aboyo yemaya
piare ke te piare pia piare ke te piatuko piare ke tolo mitara oo oloto aboyo yemaya
yemaya hee oloto aboyo yemaya
ee yemaya yalote
aboyo aeee aboyo
ee yalote yalote
aboyo aeee aboyo
ee yoyama yalote
aboyo aeee aboyo(x4)
eee yema yalote
aboyo aeee aboyo
eee yalote yalote
aboyo aeee aboyo
ee yoyama yalote
aboyo aeee aboyo
ee yema yalote
aboyo aeee aboyo
yemaya

a la reina del mar

celina y reutilio

celina y reutilio são  cantores cubanos  que nos anos 40 combinaram a musicalidade  do campo aos cânticos dedicados aos orixás da santería cubana, num diálogo com elementos da música da religião católica.“a la reina del mar” é um canto em homenagem a iemanjá, que na tradição cubana é sincretizada com “la virgen de la regla”.

 

virgen de regla, te llamo en mi canto,
virgen de regla, de mi devoción,
madrecita santa que estás en el cielo,
cuídanos mi virgen con tu protección.
virgencita negra que estás en el agua,
que estás en el cielo y en mi corazón.

oh, mi yemayá, quítame lo malo,
quítame lo malo y échalo en el mar.
oh, mi yemayá, quítame lo malo,
quítame lo malo y échalo en el mar.

yo te ruego, dios, saludar a mis oyentes,
cuídalos mi virgencita, cuídalos mi yemayá.
oh, mi yemayá, quítame lo malo,
quítame lo malo y échalo en el mar.
oh, mi yemayá, quítame lo malo,
quítame lo malo y échalo en el mar.

oh, mi yemayá, quítame lo malo,
quítame lo malo y échalo en el mar.
oh, mi yemayá, quítame lo malo,
quítame lo malo y échalo en el mar.

bahía negra

javier limón con bebo valdés y buika
a canção“bahía negra” é um wawancó (ou guaguancó), ritmo cubano que corresponde a uma das formas da rumba. composta e interpretada por javier limón, a canção conta com os destaques de bebo valdés no piano, buika na voz, javier colina no contrabaixo e piraña e pepe espinosa na percussão. faz parte do disco limón, cujas canções foram compostas e arranjadas por javier limón e que conta com a colaboração de diversos outros artistas.

bahía tiene el color
de tus ojos niña
tiene también tu olor
que trajo la brisa
tiene la risa fácil
como tu risa

bahía tiene la piel
negra de la noche
áfrica duerme allí
desde que era joven
y en su memoria, música
pa’ que nadie la robe

áfrica duerme y alguien romperá su silencio
cuando despierte se hará realidad sus sueños

flores en el mar

jorge drexler cd llueve
gravada originalmente no cd llueve (1998), a canção “flores em el mar” foi regravada em 2008 no álbum duplo cara b, do cantor e compositor uruguaio jorge drexler. esta canção faz referência ao ritual de oferecer flores à orixá iemanjá, cerimônia que se realiza em diferentes praias de cidades brasileiras, mas também ocorre em cuba e nas cidades de montevidéu (uruguai) e ciudad de la plata (argentina) no dia 2 de fevereiro.

hay flores en el mar,
hay flores en el mar.

en el borde de tu falda hoy
te vienen a entregar,
madre fuerza de las aguas,
flores blancas en el mar.

hay flores en el mar,
hay flores en el mar.

en el borde de tus barcas
una tenue claridad,
y en los hojos de tus hijos
se te puede adivinar.

hay flores en el mar,
hay flores en el mar.
hay flores en el mar,
hay flores en el mar.

se van las barcas de iemanjá,
se van las barcas de iemanjá.

en el borde de tus aguas
hay un murmullo de sal,
son aladas tus espumas,
es salado tu cantar.

hay flores en el mar,
hay flores en el mar.

(todos saben que en febrero crecen flores en el mar)
(quién no sabe que en febrero crecen flores en el mar)

mar adentro, despacito

marta gómez cd entre cada palabra
a canção “mar adentro, despacito” é uma composição da colombiana marta gomez, inspirada no filme “mar adentro” do diretor chileno alejandro amenábar. a canção faz parte do quarto cd  da cantora  intitulado entre cada palabra ( 2006. o álbum tem como proposta uma mescla de ritmos hispano-americanos, como landó, flamenco, cumbia e ranchera.

dicen que una luna
se ha enredado entre tu pelo
y mis dedos no la pueden arrancar.
es que llevo el mar
aquí tan dentro de mi pecho
y es por eso que me cuesta respirar.

mar adentro, despacito
yo camino sin tocar la arena, mar
despierto y sigo solo encontrando
la manera de tocar tu voz,
de tocar tu olor.

creo que siento el sol
aquí quemándome en el cuerpo
y es por eso que me cuesta despertar.
creo que veo el mar,
el mar atrás de la montaña
y ¿por qué me cuesta tanto irlo a buscar?

mar adentro, despacito
yo camino sin tocar la arena, mar
despierto y sigo solo encontrando
la manera de tocar tu voz,
de tocar tu olor.

el mar

guillermo anderson cd encarguitos del caribe
guillermo anderson é uma referência quando se fala na música produzida em honduras e um importante ativista em questões sociais e ambientais. sua trajetória e seu papel no cenário cultural do país lhe renderam o título de embaixador cultural de honduras no mundo. o cd encarguitos del caribe foi lançado em 2005.

santitos

vivi pozzebon cd madre baile
composta por vivi pozzebón,  a canção  “santitos” é um afro-chamamé que fala das semelhanças  entre o santo argentino gauchito gil de corrientes e o orixá elegué presente em cuba e no brasil, assim como as semelhanças  entre iemanjá e a difunta correa, combinando o chamamé argentino com congas, batás e o bembé, ritmo afro-cubano.

fonte: http://latitudeslatinas.com/odoya-minha-rainha/