Jorge Luis Borges, um ultraísta

Em 2016 completam-se trinta anos da morte de Jorge Luis Borges (1899-1986), escritor argentino do século XX que integra a literatura universal. Muitas vezes lembrado por sua cegueira, um fato interessante em sua trajetória é o vínculo que Borges estabeleceu com Buenos Aires, sua cidade natal, lugar indissociável de sua criação literária. Nascido em 1899, Borges, já na infância, teve formação cosmopolita. Desde cedo, em sua casa e pela família, foi incentivado a desenvolver habilidades e qualidades literárias e intelectuais (cf. MICELI, 2012, p. 44-85). O contato com os livros da biblioteca de seu pai (1874-1938), Jorge Guilhermo Borges, e com a tradição argentina, através da história familiar de sua mãe, Leonor Acevedo Suárez (1876-1975), além de fazer parte do …

Ricardo Benzaquen de Araújo, um professor

Sem dúvida, a maior contribuição de Ricardo Benzaquen de Araújo (1952-2017), para as ciências humanas, num Brasil pouco afeito ao passado e dado à adjetivação, foi a de revalorizar Gilberto Freyre e sua obra, principalmente Casa-grande & Senzala. De fato, passei a entendê-lo melhor após ler sua tese escrita entre 1987 e 1993, no Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro. Na contramão de muitos acadêmicos que excluíam Gilberto, reduzindo-o a simples defensor do regime militar, Ricardo fez uma leitura ousada ao mostrar como a valorização dos antagonismos seria fundamental para entender esse pensador. Ricardo, aliás, nos ensinou a ler o mundo e a valorizar suas contradições. Ele, inclusive, prezava mais os antagonismos do que as sínteses. Isso, …

Dando corpo a uma história, a princípio, sem lugar

Comecemos este ensaio com quatro versos de um poema inacabado, dedicado ao Novo Mundo: Divina Poesía […] tiempo es que dejes ya la culta Europa y dirijas el vuelo adonde te abre el mundo de Colón su gran escena. (BELLO, 1979, p. 20) “Alocución a la poesía” é um fragmento do poema América, escrito por Andrés Bello (1781-1865). No conjunto, o poema expressa a abertura para um horizonte no qual o Novo Mundo começou a se descolar da Europa: a América, dada sua idade e circunstância, seria o lugar ideal para a construção de uma nova experiência que não florescera no Velho Mundo. Essa oposição entre dois mundos remonta ao período do Renascimento e é anterior às Navegações. Aliás, deu-se …

A Biblioteca de Jorge Luis Borges

Para Reinaldo Santos Neves A epígrafe do conto “A Biblioteca de Babel” (1941), de Jorge Luis Borges (1899-1986), é do livro A anatomia da melancolia (1621 é a data da primeira edição) de Robert Burton. Nela, está escrito: “Através desta arte você pode contemplar a variação das vinte e três letras…”. Abertura do conto, a frase de Burton relaciona-se ao segundo axioma da Biblioteca: a variação de 25 símbolos ortográficos (o ponto, a vírgula, o espaço e as vinte e duas letras) seria suficiente para enumerar o desconhecido. A Biblioteca se divide da seguinte forma: “O universo (que outros chamam a Biblioteca) compõe-se de um número indefinido, e talvez infinito, de galerias hexagonais, com vastos poços de ventilação no centro, …

Através do espelho: Richard Morse e a Ibero-América

O historiador norte-americano Richard M. Morse nasceu em 1922, Nova Jersey, e faleceu em 2001, em Porto Príncipe, Haiti. Sua trajetória acadêmica foi heterogênea: professor em Yale, secretário do Latin Amerian Program do Wilson Center e diretor da Fundação Ford, instituição que durante a década de 1970 patrocinou pesquisas norte-americanas sobre a América Latina. Antonio Candido, de quem Morse foi amigo, lhe chamou de WASP (White, anglo-saxan and protestant – branco, anglo-saxão e protestante) incomum. Por essa peculiaridade biográfica, talvez, Morse foi um pesquisador norte-americano que olhou a América Ibérica não como terra exótica, mas, como resposta à crise do mundo moderno e aos problemas do Ocidente, principalmente, o Novo Ocidente. Em “O espelho de Próspero: cultura e ideias nas …

A Biblioteca Ayacucho e Ángel Rama

Neste ano, 2015, a Biblioteca Ayacucho completa quarenta e um anos dando sinais positivos da vitalidade da cultura latino-americana. Fundada em 1974, na Venezuela, durante o governo de Carlos Andrés Pérez, a Biblioteca Ayacucho no seu projeto inicial procurou criar um espaço para a divulgação dos “clássicos” do pensamento social e artístico produzidos nesta parte do mundo. Entre os principais idealizadores desse projeto, é o nome do uruguaio Ángel Rama (1926-1983) que merece o devido destaque, pois partiu dele a concepção inicial de organizar essa coleção. A criação da Biblioteca Ayacucho ocorreu num momento delicado da história do continente, principalmente pela proliferação de governos autoritários e ditaduras civis-militares que se espalhavam pelo continente. Toda essa conjuntura acabou por criar uma …