Call for Papers

Iberoamérica social: Revista-rede de estudos sociais Ano 8 Núm. XIV

O feminicídio, o massacre cotidiano na Iberoamérica

SpainO feminicídio, o massacre cotidiano na Iberoamérica

O termo feminicídio foi utilizado pela primeira vez no ano de 1976 pela acadêmica sul-africana Diana Russell no Tribunal Internacional de Crimes Contra as Mulheres em Bruxelas; e na década de 90 se conceitua como “o assassinato de mulheres realizado por homens motivado por ódio, desprezo, prazer ou em um sentido de propriedade sobre as mulheres”, visibilizando o carácter político e diferenciado de um tipo de crime cometido com grande violência e crueldade contra as mulheres.

Para o caso da Iberoamérica, as cifras oficiais e extraoficiais evidenciam que os feminicídios aumentam significativamente a cada ano na maioria dos países, ainda que pese aos altos índices de ocorrência de estes delitos e as demandas de movimentos feministas, investigadoras, ativistas, familiares e pessoas próximas as vítimas, esta problemática tem sido continuamente invisibilizada pela academia, utilizada pelos meios de comunicação, assim como, negada e desatendida pelos governos.

Por isto, diante desta contínua e sistemática desatenção da problemática do feminicídio, se faz necessário avançar no desenvolvimento de investigações e pesquisas acadêmicas que permitam caracterizar e problematizar o fenômeno, afim de proporcionar ferramentas para uma efetiva, eficiente e oportuna intervenção institucional, judicial, midiática e social que garanta a sua erradicação.

Neste número, intitulado “O feminicídio, o massacre cotidiano na Iberoamérica” nos interessa a partir de uma perspectiva multidisciplinar dar conta de como estão tipificados estes delitos nos países da Iberoamérica, quais são as penas aplicadas, quais são as estatísticas oficiais e extraoficiais disponíveis de feminicídios na Iberoamérica, como se sistematizam, quais são os países com maior índice de ocorrência do delito, quais são os instrumentos de investigação, pesquisa e ação na matéria de atuação criminal feminicida com as que podem contar as instituições de competência. A prevenção e a erradicação do feminicídio também dá o mérito de forma imprescindível e impostergável ao estudo e a caracterização do fenômeno, das vítimas, as circunstâncias, o lugar onde foram cometidos estes crimes, as armas e modalidades empregadas; assim como, visibilizar a existência de denúncias prévias, vítimas secundárias e o estado processual dos casos.

Adicionalmente, é de fundamental importância a aproximação ao tratamento que os feminicídios são feitos pelos meios de comunicação, as atuações governamentais, assim como, as ações e iniciativas desenvolvidas pelos movimentos feministas e de familiares das vítimas de feminicídios para visibilizar seus processos pela busca de justiça.

Iberoamerica Social: Revista-rede foi fundada com o objectivo de promover a cooperação para a criação e disseminação de conhecimento entre os países da região ibero-americana, aproveitando a tecnologia que a plataforma digital pode oferecer. É uma publicação semestral de carácter acadêmico e multidisciplinar que excede limites dos estudos sociais em busca de uma ciência social, humana, respeitosa e responsável.

Tem prioridade as temáticas atuais que envolvem, afetam e interessam a sociedade ibero-americana, como a democracia, os direitos humanos, o género, o meio ambiente e o desenvolvimento sustentável e inclusivo de nossos povos. Portanto, além dos artigos do dossiê principal temático, nós temos um espaço aberto e dedicado para artigos de temática livre.

Os trabalhos podem ser enviados até 30 de abril de 2020 através da plataforma Open Journal System de Iberoamérica Social. A sua classificação será a seguinte:

Artigos acadêmicos: Seis a dez artigos originais de pesquisa, reflexão ou revisão para o dossiê e uma seção com até seis artigos em temática livre. A extensão máxima é de 10.000 palavras. O sistema de avaliação da revista para todos estes materiais é o denominado como «avaliação por pares do tipo double blind».

Miscelanea: Seis a oito espaços na seção de miscelânea para resenhas de livros, relatos de experiências de pesquisa, cartas de opinião, ilustrações, fotografias e outras expressões artísticas ou culturais relacionadas com o tema principal do número. Sua publicação está sujeita ao parecer de especialistas em cada campo.

Serão considerados para esta chamada textos escritos em espanhol ou português.

Iberoamerica Social promove a reflexão inclusiva e produção intelectual. Portanto, nós encorajamos jovens investigadoras e jovens investigadores para participar conosco.

Conhece nossas normas de publicação aqui

O Conselho Editorial