Brasil, uma vertigem

A população ainda está paralisada, dividida entre os que aplaudem sua própria desgraça e os que não encontram como expressar de maneira coletiva a sua revolta.

a população ainda está paralisada, dividida entre os que aplaudem sua própria desgraça e os que não encontram como expressar de maneira coletiva a sua revolta.

Primeiro foi a reforma trabalhista que retirou direitos dos trabalhadores. Todas as vantagens para o patrão. Nada de carteira assinada, nada de multa por demissão sem justa causa, nada de incomodação na justiça, até porque a Justiça do Trabalho também se acabou. A propaganda era boa: o trabalhador estará livre, poderá escolher seus horários. Boa parte das gentes acreditou e vibrou. E veio o trabalho temporário, intermitente, sem qualquer vínculo. A uberização da vida. Todos os riscos são do trabalhador. E se ficar doente, tá morto. Porque se não trabalha no dia, não ganha. Não há direitos. Agora, já definida em primeiro turno, com todas as chances de ser mais uma estrondosa vitória no segundo, está pronta a reforma da […]

Previdência por um fio

A luta tem de ser real, concreta. Mas, o que se vê é o abandono.

Bolsonaro e a previdência

O governo de Jair Bolsonaro está conseguindo colocar em prática todas as propostas feitas em campanha eleitoral. Estava muito claro no seu programa de governo que a intenção era vender o país, destruir todos os ganhos dos trabalhadores e governar para o latifúndio. Foi o que prometeu e é o que vai cumprindo praticamente sem qualquer reação da oposição, a não ser a protocolar, com discursos inflamados no Congresso, sem conexão com a vida real. A maior de todas as perdas para os trabalhadores é a chamada Reforma da Previdência que aumenta a idade mínima, aumenta o tempo de contribuição e diminui o recurso a ser recebido. Um verdadeiro massacre para a vida de quem conseguir chegar à aposentadoria, visto […]

O agrotóxico mata a gente

A comida ficará mais barata, mas terá mais agrotóxico. Logo, haverá mais doenças. Isso é bom para quem?

agrotóxico mata

Uma pessoa é literalmente o que come, já dizia o velho Bataclan, atleta negro e figura lendária em Porto Alegre que desde os anos 1950 pregava a necessidade de uma alimentação saudável, baseada em legumes e hortaliças. Seu lema era “não comemos cadáveres”. Chegou a andar pelo estado fazendo propaganda da alimentação natural, dando cursos e palestras. Uma das coisas engraçadas que ele dizia era que seu cocô era perfumado, porque não tinha nele nenhum vestígio de carne putrefata. E nos desafiava a mudar totalmente os hábitos. Bataclan viveu até 1990, mas se hoje estivesse ainda na sua luta pela vida vegetariana, imagino que teria muita dificuldade em convencer as pessoas, já que alimento saudável é coisa para muito pouca […]

cidadão cliente

Quando em 1938 o jovem Orson Welles levou a sociedade estadunidense a beira do delírio coletivo com a apresentação radiofônica de uma invasão alienígena – na verdade a dramatização da novela de George Wells, Guerra dos Mundos – ficou bastante claro o poder que o rádio – naqueles dias uma mídia insurgente – desempenhava. Sua penetração era avassaladora e o que era veiculado na caixinha de som assumia status de verdade absoluta. A sociedade já não estava mais refém dos ilustrados, que sabiam ler, e desvendavam as letras dos jornais. Pelo rádio, a informação falada podia chegar a qualquer pessoa e em qualquer lugar. Abria-se o espaço para a liberdade do conhecimento. Só que não.

Nenhum ser humano é ilegal

Andar pelo mundo deveria ser uma escolha e não a única alternativa para seguir vivo.

Nenhum ser humano é ilegal

Circula pela rede a triste foto de um homem e uma menina (pai e filha), segundo consta salvadorenhos, mortos, na beira do Rio Bravo, o rio que separa os Estados Unidos do México. Os dois são um número a mais na trágica contabilidade da migração. Todos os dias um corpo boia naquele rio. Mas, essa cena, em particular, é dolorosa porque envolve o corpinho de uma criança de dois ou três anos. Toda a tragicidade de um povo que sai de suas casas, suas cidades, seus países, porque não suporta mais a miséria, a fome, a violência e caminha em direção ao anunciado “eldorado” que são os Estados Unidos. Mas, lá, ninguém os quer. É um paradoxo. Porque nos seus […]

Brasil: mais uma sacudida no governo Bolsonaro

Um jogo entre os poderosos, no qual a maioria só fica de assistente.

Sergio Moro - sacudida no governo Bolsonaro

No ano passado, quando o Brasil viveu o processo eleitoral, não faltaram denúncias sobre as manobras realizadas pelo juiz Sérgio Moro, visando impedir a candidatura de Luís Inácio Lula da Silva, somando-se assim ao mosaico que estava se desenhando com o crescimento da candidatura de Jair Bolsonaro, até então um azarão. Durante todo o processo que culminou, finalmente, com a prisão de Lula, acusado de ter recebido propina e com ela comprado um apartamento pobrinho, a mídia não comercial apontou os equívocos, os erros, a irregularidades. Mas, nada foi levado em conta. Tudo seguiu seu rumo, dentro daquilo que o então senador Romero Jucá dizia que era o acordo “com o Supremo, com tudo”. Sem o Lula na parada, e […]