Brasil: não é incompetência, é plano

Eleito para ser o coveiro das aspirações mais à esquerda, Bolsonaro foi apoiado pela direita brasileira esfacelada, pela mídia comercial, pelas igrejas sedentas de grana, e pela camada da população que mantinha viva em si toda série de ilusões acerca da ordem, progresso e crescimento econômico do tempo dos militares. Ele seria o condutor da destruição da “bagunça” petista.

Quem acompanha a carreira do homem que hoje está na presidência do Brasil sabe: ele é isso aí. Durante toda sua medíocre vida parlamentar ele esteve ancorado na ignorância, no ódio, na intolerância, na sede de sangue. Não é sem razão que seu ídolo maior é um dos mais nefastos torturadores da ditadura militar. Falando sobre a ditadura ele afirmava: “Matou só 30 mil, tinha que ter matado mais”, ou “Não devia ter só torturado, tinha que ter matado”. Tirando isso, tema que domina com maestria, sobre o demais é sempre uma ladainha de burrice e preconceito. Seu mundo é tão pequeno que suas ideias sobre ele caberiam em algumas linhas de papel. É o receptáculo perfeito para servir de […]

Porque Trump não fez a América grande outra vez

Em um seminário realizado pela Escola de Ciências Sociais Henry George, publicado no sítio The Saker, o economista estadunidense Michel Hudson, em conversa com o jornalista Pepe Escobar explicou porque os Estados Unidos estão em  queda e em crise constante. Segundo ele a riqueza produzida lá não é mais feita pela industrialização, mas financeiramente, através de ganho de capital. Ou seja, o país gira na roda financeira, através do aumento do preço dos imóveis, ações e títulos e não investe mais no setor produtivo. Isso significa que não há trabalho e sem trabalhador não há produção de valor.

Em um seminário realizado pela Escola de Ciências Sociais Henry George, publicado no sítio The Saker, o economista estadunidense Michel Hudson, em conversa com o jornalista Pepe Escobar explicou porque os Estados Unidos estão em  queda e em crise constante. Segundo ele a riqueza produzida lá não é mais feita pela industrialização, mas financeiramente, através de ganho de capital. Ou seja, o país gira na roda financeira, através do aumento do preço dos imóveis, ações e títulos e não investe mais no setor produtivo. Isso significa que não há trabalho e sem trabalhador não há produção de valor. Existe apenas 1% entre os mais ricos que se adona desse processo de financeirização e foi esse grupo que conseguiu crescer, mesmo […]

Jornalicídio doloso – jornalista é processada por interpretar realidade

A palavra jornalismo vem do grego diurnalis, que significa “do dia”. Quando passa a designar um fazer significa então “análise do dia”. Isso é o que está na etimologia e é o que deveria estar na cabeça de cada um de nós, os que praticamos o jornalismo todos os dias. Observar a vida, os fatos, e narrar, não como meros porta-vozes, mas como sujeitos capazes de analisar e interpretar os fatos para além da aparência.

A palavra jornalismo vem do grego diurnalis, que significa “do dia”. Quando passa a designar um fazer significa então “análise do dia”. Isso é o que está na etimologia e é o que deveria estar na cabeça de cada um de nós, os que praticamos o jornalismo todos os dias. Observar a vida, os fatos, e narrar, não como meros porta-vozes, mas como sujeitos capazes de analisar e interpretar os fatos para além da aparência. Pois foi exatamente isso que fez a jornalista Schirlei Alves ao cobrir o vexaminoso julgamento do caso André Aranha, acusado de estuprar uma garota numa casa noturna da capital catarinense, Florianópolis, Brasil. Na audiência, o advogado do dito estuprador coloca foco na vida da jovem […]

O tempo da confusão

Li há pouco tempo o longo artigo de Jimmie Moglia sobre a política estadunidense interna e externa. A que está em curso com Trump e a que vem com Biden. Segundo ele, tanto um quanto o outro trabalham firmemente com a nova modalidade de poder que veio montada na emergência das atuais plataformas de comunicação: a da confusão.

Li há pouco tempo o longo artigo de Jimmie Moglia sobre a política estadunidense interna e externa. A que está em curso com Trump e a que vem com Biden. Segundo ele, tanto um quanto o outro trabalham firmemente com a nova modalidade de poder que veio montada na emergência das atuais plataformas de comunicação: a da confusão.   Mogli diz que o país caminha em meio a bombardeios éticos, mísseis terapêuticos, assassinatos democráticos e uma espécie de imperialismo humanitário. “Mesmo o raciocínio mais perspicaz pode ser facilmente confundido com tudo isso, enquanto o mítico cidadão comum, perdido no labirinto mental das notícias, sente como se tivesse tropeçado na escuridão absoluta de um universo sem estrelas. Não se pode negar que […]

O plano é assaltar o Estado

O Brasil segue em passos largos no processo de contaminação pelo coronavírus, vivendo um de seus piores momentos desde julho, ultrapassando a marca dos 300 mil contaminados em uma semana.

O Brasil segue em passos largos no processo de contaminação pelo coronavírus, vivendo um de seus piores momentos desde julho, ultrapassando a marca dos 300 mil contaminados em uma semana. Enquanto isso o presidente da nação desinforma sobre a vacinação, faz piadinhas, inaugura exposição de suas próprias roupas e vai pescar. Tudo isso diante uma população completamente apática. Os gritos só aparecem nas redes sociais e em um ou outro meio de comunicação como o jornalão Folha de São Paulo que escreveu no seu editorial que “a estupidez assassina do presidente passou de todos os limites”. Mas, o fato é que o presidente passa dos limites a cada semana e isso só faz aumentar o índice do seu limite porque, […]

América central: um milhão de migrantes em 2020

Mais de um milhão de pessoas a abandonar os países da América Central só neste ano de 2020

Essa semana uma nova coluna de gente organizou-se em San Pedro Sula, Honduras, para sair em caminhada rumo aos Estados Unidos. Pelo menos 400 pessoas, congregando famílias inteiras, que perderam tudo o que tinham, acossadas pelos furacões, pela violência e pela miséria sistêmica. “Nada mais nos resta que nos colocar a caminho”. A maioria sabe que vai ser bem difícil atravessar a fronteira dos EUA, mas é a vontade de viver que os põe em marcha. De alguma maneira, acreditam que podem ter mais sorte saindo do país do que ficando. Esse é o sentimento que levou mais de um milhão de pessoas a abandonar os países da América Central só neste ano de 2020, conforme números revelados pela Comissão […]