Elaine Tavares

Na madrugada do dia 03 de março mais uma lutadora social tombou em terras hondurenhas. Berta Cáceres, ecologista e ativista dos direitos humanos foi assassinada dentro de sua casa, em La Esperanza, por mercenários encapuçados. Nos jornais locais, Berta apenas engordou as estatísticas de crimes políticos que vem sendo cometidos à exaustão desde o mal fadado golpe de estado de 2009, quando os militares sequestraram Mel Zelaya e o retiraram da presidência em nome de coisa nenhuma. Naqueles dias, o golpe, armado na embaixada dos Estados Unidos, visava retirar Honduras da órbita de Hugo Chávez, uma vez que Zelaya estabelecia acordos e buscava melhorias para o povo hondurenho via projetos em comum com o presidente venezuelano. Logo após o golpe, […]

Elaine Tavares

Observando o avanço desenfreado das pautas da direita em todo o planeta, com a também crescente fascistização da vida, via as epidêmicas redes sociais, me assalta uma certeza: o comunismo, mais do que uma necessidade política, é uma necessidade biológica. E, diante da realidade, essa forma de organizar a vida aparece-me como a única alternativa possível para os seres humanos. Alguém pode dizer que sou uma louca, quando tudo parece apontar para um retorno inexorável dos tempos mais sombrios, mas, posso mostrar que não. Imaginem-se na baixa idade média, quando a violência contra os pobres recrudesceu, uma vez que os senhores feudais viram que as mudanças causadas pelo nascimento dos burgos eram profundas. Naquelas horas noas, de angústia e violência, […]

Elaine Tavares

No livro do argentino Alejandro Olmos Gaona, “A dívida odiosa”, vários são os casos de negativa de pagamento de dívidas por conta de contratos ilegais ou porque tenham sido fechados em condições de exceção, com regras abusivas demais. Um dos primeiros exemplos disso é o da Liga Ática, na antiga Grécia, que no ano 454 a.C decidiu não pagar uma dívida por um empréstimo tomado ao Templo de Delfos, justamente por causa das regras exorbitantes. Também durante toda a Idade Média se contam exemplos de casos assim. Eduardo III, da Inglaterra, foi um que em 1345 recusou-se a pagar uma dívida com os banqueiros de Florença, coisa que os levou a bancarrota. Os reis da França, Carlos V e Francisco I, […]

Elaine Tavares

Desde o princípio dos tempos da história humana tem vigorado a luta de classes. Há os que detêm o poder e há os que estão subjugados. A forma de garantir o poder muda conforme o tempo histórico, ou é pela força das armas, ou é pela força econômica, mas, no geral, é sempre um pequeno grupo que se arroga o direito de definir a vida da maioria a partir de mecanismos de controle e repressão. Nunca é fácil, para um povo, constituir uma consciência de que a maioria pode inventar outro jeito de ser estado, ou outra forma de viver. E, assim, mesmo sendo maioria, se sujeita à repressão e ao domínio. Um dos elementos para manter essa maioria – […]

Elaine Tavares

Desde muito tempo temos ouvido essa “acusação” quando alguém se levanta em luta pelo equilíbrio ambiental: eco-chatos, inimigos do progresso. Uma gente chata que não quer ver o desenvolvimento da nação. Hoje, com a nação perplexa diante da tragédia que se abateu sobre a vida em Minas, se faz mais do que necessário rever esse conceito. Qualquer pessoa que tenha consciência crítica sabe que o capitalismo enquanto tal é um produtor de misérias. A sua produção de mercadorias implica no seu contrário, ou seja, a destruição. Assim, se queremos falar da raiz oculta das relações de produção capitalista, temos que necessariamente falar em relações de destruição, como bem aponta o teórico Ludovico Silva no seu livro “A mais-valia ideológica”. Não […]

Elaine Tavares

Sempre que se fala em escravidão, vem à mente a cena do negro, acorrentado, vindo para a América nos navios negreiros do século 17 e 18. Naqueles dias, durante o processo de invasão e dominação dos territórios africanos e americanos, esse era o grande negócio. Usar as pessoas como mão de obra barata para a acumulação de riqueza. Portugal e Espanha desbravaram os novos espaços, destruíram as comunidades existentes e implantaram o saque. A Inglaterra dominou a rota e o mercado do tráfico. Tudo era uma grande operação comercial destinada a enriquecer uns poucos. Esse longo processo foi o responsável pela dizimação dos povos originários no chamado “novo mundo”, nossa Abya Yala, e pela desagregação comunitária nos espaços do continente […]