Os trabalhadores e os indígenas

O fato é que a mão que manda matar é a mão do capital.

indigenas

A luta dos povos indígenas nunca teve trégua desde a invasão portuguesa aqui nas terras de Pindorama. Primeiro foi a tomada do litoral, depois as bandeiras foram se espraiando pelo interior. Por fim, a Amazônia. Onde havia ocupação tradicional, os invasores foram “limpando”, o que significava, obviamente, extermínio. Até o início do século XX foi assim e foi o Marechal Rondon quem procurou mudar isso, “morrer, talvez, matar, nunca”. Claro que ele ainda estava carregado da ideia de que era preciso integrar os indígenas à sociedade nacional, mas já era uma mudança abissal no trato com as etnias.  Foi ele quem criou o Serviço de Proteção ao Índios (SPI), hoje Funai. A ideia era essa mesmo, proteger. Pois esse conceito […]

O golpe e a justiça na Bolívia

O exemplo da Bolívia, punindo os golpistas, assoma como um facho de luz por toda a América Latina onde os golpes contemporâneos se sucedem sem que os responsáveis sejam responsabilizados.

bolivia

Não ficou impune o golpe dado na Bolívia em 2019 envolvendo militares, lideranças evangélicas e civis servis. Finalmente na última sexta-feira a ex-presidente golpista Jeanine Añez e vários outros chefes militares e policiais foram sentenciados por inúmeros crimes contra a Constituição daquele país nos dias que se sucederam a renúncia de Evo Morales e a assunção de um controle militar. Naquele novembro de 2019, as forças de direita do país, alegando fraude nas eleições e com o apoio da embaixada dos Estados Unidos obrigaram o presidente eleito a renunciar e sair para o exílio. O que se viu em seguida foi um festival de aberrações como a chegada de Luís Fernando Camacho – líder direitista de Santa Cruz –  ao […]

republica

O governo da República Dominicana anunciou esta semana que vai expropriar vários terrenos localizados na fronteira com o Haiti – os dois países dividem uma mesma ilha no Caribe – para garantir o espaço de construção de um muro de separação. A intenção, segundo o presidente Luis Abinader, é, com isso, frear a crescente imigração e o contrabando. A proposta é expropriar 30 metros nas zonas povoadas e 200 metros nas zonas desabitadas. O tema está gerando polêmica no país, mas não é pelo muro em si e sim pelas contendas envolvendo indenização. A obra foi inaugurada simbolicamente no mês de fevereiro e pretende cobrir 160 quilômetros de extensão, aproximadamente a metade do tamanho da fronteira que é de 391.6 […]

capitalismo

A lógica do sistema capitalista é sempre garantir vantagens para os mais ricos. Sempre, sempre, sempre. Essa é uma lição que já deveria ter sido aprendida pela população que sofre cotidianamente com as políticas que são impostas para garantir essa máxima. No Brasil, comemos veneno porque o governo abriu as portas para os agrotóxicos, das empresas multinacionais. Também pagamos mais caro os alimentos porque a prioridade é para o agronegócio que planta para exportar, não para gerar comida. No governo atual temos visto a destruição sistemática de tudo o que é público com a redução de verbas que vão estrangulando os serviços a ponto de não conseguirem mais atender a população. O motivo: garantir mais lucro para o setor privado. […]

mapuche

O governo de Gabriel Boric, através da ministra do Interior do Chile, Izkia Siches, baixou um decreto na última segunda-feira, impondo um “estado de exceção” em toda a região da Araucanía e em duas regiões de Biobío (áreas tradicionalmente mapuche). Isso significa que está autorizado o uso das Forças Armadas para enfrentar os protestos, sabotagens e paralisações de estradas que tem acontecido na região e que tem causado conflitos com os caminhoneiros. O estado de exceção tinha sido decretado ainda em setembro do ano passado pelo governo de Sebastián Piñera e foi bastante criticado pela esquerda chilena. Boric chegou a declarar que não iria estender o decreto, buscando outras formas de resolver os conflitos com as comunidades mapuche. Mas, com […]

indigenas

Em Roraima, bem no meio da floresta amazônica, garimpeiros estupraram uma menina de 12 anos. Ela morreu. Também jogaram uma criança de três anos num rio, provavelmente também morta, enquanto a tia da criança resistia a mais uma violência. Ameaçaram uma comunidade inteira e obrigaram essa comunidade a sumir do seu território. A aldeia Aracaçá onde viviam cerca de 30 pessoas foi encontrada queimada e abandonada. A denúncia foi feita no dia 25 de abril por Júnior Hekurari Yanomami, presidente do Condisi-YY, que encaminhou ofício à Polícia Federal, Ministério Público Federal, Funai e Ministério da Saúde pedindo investigação do caso na aldeia Yanomami. Dois dias depois a polícia chegou ao local e encontrou a aldeia queimada. Segundo informações colhidas pelos […]