Antonio Candido e a América Latina

A divulgação da correspondência epistolar trocada com Ángel Rama, importante crítico literário uruguaio, nos permite resgatar um além: seu projeto de aproximação entre Brasil e América Hispânica.

Antonio Candido

Estava eu em Belo Horizonte, Minas Gerais, para participar do VI Encontro de Pesquisa em História (EPHIS), quando recebi a notícia: havia morrido Antonio Candido de Mello e Souza, consagrado intelectual brasileiro. 12 de maio. Salvo engano, uma fatídica sexta-feira. Perto de completar 100 anos, faleceu repentinamente no hospital. A repercussão foi grande, com noticiários em jornais, rádios, programas de televisão, nos mais diversos veículos de comunicação. Os textos sobre ele variavam: dos mais sentimentais e emotivos, passando pelos sisudos e distanciados, chegando até os apaixonados e absolutamente devotos. Chamou-me a atenção o fato de que todos aqueles que se dedicaram por algum tempo a escrever sobre Candido consideravam-no intérprete, historiador, sociólogo e/ou crítico literário das coisas do Brasil. Ideias […]

Apresentação

Providências da crítica desde a periferia.

Literatura periferica

Salvo engano, a crítica literária é um espaço fronteiriço capaz de reunir diversas áreas do conhecimento. Hoje fortemente atrelada à instância universitária, devido sobretudo à diminuição do espaço público antes aberto à figura do estudioso das letras, tem sido cada vez mais relegada à categoria de “atividade complementar”. Mas na América Latina nem sempre foi assim: da forte participação ativa na imprensa no século XIX; passando pela atuação decisiva na cena intelectual do início do século XX; chegando à institucionalização do campo no pós anos 1950, quase sempre a figura do crítico literário foi decisiva na conformação da ideia de cultura. A ideia deste espaço, contudo, é resgatar a dimensão crítica dos estudos literários. Nosso foco recairá, do ponto de […]