Escola Sem Partido – o que é e o que se esconde

O chamado movimento “Escolas sem Partido” não é uma novidade criada pela direita brasileira, muito menos saiu da cabeça do Alexandre Frota. Como sempre, é uma cópia piorada de movimento semelhante que existe nos Estados Unidos, desde os anos 80, conhecido como “No Indoutrination”, no qual as escolas recrutavam estudantes para espionar os professores considerados “de esquerda”. Os alunos escreviam relatórios sobre os professores denunciando-os, caso eles falassem de qualquer tema que não fosse o que estava estabelecido como verdade pela escola. Ou seja, censura total ao pensamento crítico. E o que é pior, a formação de pessoas movidas pelo ódio, legítimos dedos-duros. Pedagogicamente, um desastre. Pois em 2004 um advogado brasiliense chamado Miguel Nagib escreveu, a pedido do deputado …

América Latina e a Operação Condor II

A Assembleia Nacional da Venezuela, aproveitando-se da ausência do presidente Nicolás Maduro, chamou uma sessão extraordinária em pleno domingo, e preparou um golpe parlamentar para derrubar o primeiro mandatário da nação. Indignados com a negativa do poder eleitoral em realizar um referendo revocatório do mandato, acusam o presidente de golpe e, para finalmente tirá-lo do caminho, acusam-no de quebrar as regras constitucionais. O fato é que a oposição não conseguiu recolher as assinaturas necessárias para a realização do referendo, apresentando uma documentação recheada de irregularidades e fraudes. Há dois anos que a oposição tenta derrubar Maduro pelo caminho da chantagem econômica, abrindo contra ele uma guerra, na qual escondem produtos e provocam a escassez de alimentos e outros artigos de …

Ciudades Inteligentes en Iberoamérica; ejemplos de iniciativas desde el sector privado, la sociedad civil, el gobierno y la academia.

Maximino Matus Ruiz y Rodrigo Ramírez Autrán (Compiladores) Ciudades Inteligentes en Iberoamérica, es una de las recientes obras publicadas por el INFOTEC Centro de Investigación e Innovación en Tecnologías de Información y Comunicación. El trabajo está conformado por 11 capítulos en los cuales colaboraron con sus conocimientos en la materia 16 autores. Asimismo, una de las aportaciones relevante del trabajo es que en éste se presentan discusiones de 5 países distintos en Iberoamérica. Las disciplinas que convergen en el libro son: la Ciencia Política, la Antropología Social, la Sociología y el Desarrollo Regional. Cabe señalar que en algunos capítulos, la discusión se centra en el estudio de caso de una ciudad particular y cómo las iniciativas tecnológicas están impactando la …

Sobre o trabalho e a luta dos jornalistas em Santa Catarina

O sistema de produção que domina o mundo – capitalismo – não tem moral. E o que significa isso? Que aos que comandam o processo não importam as gentes. Os seres humanos são apenas números, dados, estatísticas. Máquinas de trabalho capazes de produzir valor. Única e exclusivamente. Pouco se dá aos capitalistas se alguém perdeu o emprego, se teve o braço cortado, se se matou por não ter como dar comida ao filho, ou se vai fenecer lentamente por não conseguir manter a vida. As poucas pessoas que dominam o mundo das mercadorias sabem que há milhões de outra pessoas de reserva, prontas para assumir o lugar de quem morre. A máquina continuará produzindo, gerando capital e lucros apenas para …

Kalakuta-abya yala: afrobeatizándonos

imagina a cena: polícia espancando pessoas que ousaram reivindicar direitos; pessoas sendo agredidas em sua dignidade. e os músicos tocando/cantando. mas tocando/cantando o que? composições que trazem duras críticas ao governo central, às restrições à liberdade e à falta de projetos pensados para os cidadãos comuns. isto é afrobeat. isto é nigéria, anos 70. mas poderia ser aqui, hoje, neste lugar onde também vamos perdendo mais e mais direitos… kalakuta seja aqui. a música é a arma. Fonte: http://latitudeslatinas.com/kalakuta-abya-yala-afrobeatizandonos/ Kalakuta-abya yala: afrobeatizándonos was last modified: diciembre 20th, 2017 by Latitudes Latinas