Mudar o sistema para mudar a educação No sistema capitalista a educação sempre será um braço ideológico constituído para manter as coisas como estão.

As Jornadas Bolivarianas, em sua 13° edição, discutiram a educação na América Latina, celebrando os 100 anos da Reforma de Córdoba, movimento estudantil universitário que mudou a cara do ensino superior em todo o continente. Naqueles dias de 1918, um ano depois da grande revolução russa, o mundo estava em polvorosa e, na Argentina, um grupo de estudantes decidiu que ali também haveria de ter mudanças. Articulados e em luta eles ousaram propor uma nova universidade, democrática, autônoma, popular.  O ideário dos estudantes de Córdoba nunca se cumpriu de todo, mas muitas mudanças aconteceram, dando novos contornos ao mundo universitário. Agora, passados 100 anos, fica cada vez mais claro que...

Primeira infância

A primeira infância é a etapa da vida da criança que perpassa desde o nascimento até os primeiros seis anos de vida, e envolve um mar de descobertas e experimentações. Os pequenos vão começar a desvendar o mundo através do sensorial, eles vão cheirar, tocar, colocar na boca, morder, jogar, pisar, ouvir, ver......

A síndrome do impostor é definitivamente algo a se considerar. Algumas considerações para estudantes de pós-graduação não se sentirem externos à academia

Rachel Herrmann [1] [2] Ao meu passado, enquanto estudante de pós-graduação, No último verão eu escrevi uma carta sobre todas as coisas que eu queria que você soubesse quando iniciou a pós-graduação, mas eu fiz uma gigantesca omissão: A síndrome do impostor. Isso me ocorreu quando eu conversei com um novo estudante de pós-graduação neste outono e que descrevia a síndrome do impostor sem saber o que ela era, ou que muitos estudantes de pós-graduação passavam por isso. Assim, eu decidi escrever para você outra carta para lhe dizer o que é a síndrome do impostor, por que ela é importante, e o que você pode fazer sobre isso. A síndrome...

Qual o nosso desafio? (II)

Meta 1- Educação Infantil Conforme a publicação anterior, a meta 1 é voltada para a garantia do direito à educação básica com qualidade, ampliação da escolaridade, e das oportunidades educacionais. A primeira parte da meta- “Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade”- não foi cumprida, porém, ainda tem a segunda parte da meta 1, que discorre: “(…) ampliar a oferta de educação infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) das crianças de até 3 (três) anos até o final da vigência deste PNE.” Nessa parte da meta, faz-se necessário pensar em...

Qual o nosso desafio?

Meta 1- Educação Infantil “Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade e ampliar a oferta de educação infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) das crianças de até 3 (três) anos até o final da vigência deste PNE.” A meta 1, é voltada para a garantia do direito à educação básica com qualidade, assim como a  ampliação da escolaridade, e das oportunidades educacionais. Essa meta é dividida em duas. A primeira é voltada para universalização do atendimento na pré-escola (que atende crianças de 4 a 5 anos), e seu prazo é...

Da produção acadêmica e da academia de produção

Dando continuidade ao que eu e Carlitos já viemos postando aqui na IberoAmerica¹, eu gostava de problematizar mais um capítulo das limitações que a (i)lógica da produção acadêmica em ciências sociais vem produzindo. Notadamente no tocante a qualidade x quantidade de materiais em curso de produção. Por vezes acabo lendo teses antigas de antropologia, escritas duas, três ou quatro décadas atrás. Por vezes percebo que elas foram datilografadas. Aqui cabe lembrar que a extensão de páginas ou duração da pesquisa não diz muita coisa, mas a sua inexistência talvez possa dizer qualquer coisa. Algumas vezes estas teses são publicadas como livros. Normalmente estes livros tem dimensões ainda mais reduzidas quando...