Manifesto pela igualdade de gênero na educação

20 de Junho de 2015  Por Marina  Kubik Temos visto explodir Brasil afora a discussão sobre a possibilidade de se incluir a perspectiva de gênero na educação (escrevi recentemente sobre o PME de São Paulo). Os argumentos contrários à implementação desses elementos na formação de docentes são extremamente simplistas e levianos: “gênero” anularia “identidades” de meninos e meninas e passaria “por cima” dos valores familiares. Nada pode ser mais falso. Reproduzo abaixo um manifesto de grupos de pesquisa em defesa da igualdade de gênero na educação. Como diz o texto, “falar em uma educação que promova a igualdade de gênero não significa anular as diferenças percebidas entre as pessoas (o que tem...

O “ilegal” e o “clandestino”: a desumanização do imigrante

Nos movimentos pelos direitos dos imigrantes, é muito comum ouvir críticas relativas ao uso da expressão “imigrante ilegal” ou “clandestino” ao se referir a pessoas sem documentos ou em situação irregular no país. Para quem está fora da discussão ou acaba de tomar contato com o tema, parece uma questão boba, irrelevante. Os movimentos, por sua vez, respondem que se trata de “criminalização da imigração”, acrescentando ainda que, no Brasil, a imigração não documentada é uma infração administrativa e não penal. Essa argumentação dificilmente convence: para aqueles que não estão imersos no debate, a questão é simples – se não vieram de acordo com a lei, são ilegais. Em uma...

O aniversário da resolução sobre restrições de liberdade da população LGBT*

No dia 15 de abril fez exatamente um ano que foi publicada a resolução sobre restrições de liberdade da população LGBT. E para comemorar o aniversário, a imprensa brasileira seguiu o modelo globo de produção de ficto-factos: Resgatou, usou e abusou das repercussões posteriores à prisão da modelo Verônica Bolina que ocorreu na manhã de 12 de abril. As versões que se propagaram pela rede de notícias no Brasil se permutam entre “o agressor que é vítima” e “a polícia que tentou impedir a ação”, até atingir o que caracterizam “os herdeiros do Roberto Marinho”, e “os gladiadores da IURD” e a aglutinação de distorções e alienações, ou mesmo versões...

Apresentação

É com enorme prazer e satisfação que eu me apresento como o mais novo participante de Iberoamérica Social, inserido entre os blogs dos bloggers: Meu nome é Jefferson Virgílio e sou graduado em antropologia pela Universidade Federal de Santa Catarina (Brasil), onde atualmente faço parte do corpo discente no Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social e estou vinculado ao Núcleo de Identidades de Gênero e Subjetividades. Entre os anos de 2012 e 2013, e desde 2014 eu realizo investigações em Lisboa enquanto inserido na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (Portugal). A proposta do blog é aprofundar o contato e a visibilidade, além de incentivar as...