Qual o nosso desafio? (II)

Meta 1- Educação Infantil

Conforme a publicação anterior, a meta 1 é voltada para a garantia do direito à educação básica com qualidade, ampliação da escolaridade, e das oportunidades educacionais. A primeira parte da meta- “Universalizar, até 2016, a educação infantil na pré-escola para as crianças de 4 (quatro) a 5 (cinco) anos de idade”- não foi cumprida, porém, ainda tem a segunda parte da meta 1, que discorre:

“(…) ampliar a oferta de educação infantil em creches de forma a atender, no mínimo, 50% (cinquenta por cento) das crianças de até 3 (três) anos até o final da vigência deste PNE.”

Nessa parte da meta, faz-se necessário pensar em 2 pontos principais:

1.- A matrícula na creche não é obrigatória, então cabe aos responsáveis decidirem se vão querer matricular ou não as suas crianças;

2.- A estrutura, pois o espaço deve ser adaptado para receber crianças de 0 a 3 anos, (bebês), e a formação de professores, devem ter uma formação para esse trabalho.

No ano em que o PNE entrou em vigor (ano de 2014), a porcentagem geral de crianças de 0 a 3 matriculadas na creche era de 29,6%, já na capital baiana era de 34,3%, ou seja, novamente a porcentagem baiana era maior do que a nacional, e para atingirmos a meta aparentemente precisaríamos de pouco. Entretanto, essa meta é muito delicada, afinal estamos lidando com crianças muito pequenas, que estão “começando” a se desenvolver, além de que, tem a questão do querer (ou não) dos responsáveis.

Para ampliar o número de matrículas, devemos pensar na estrutura, que deve ser adaptada, as crianças vão fazer as principais refeições no local, vão começar a andar (e criança não anda, corre), vão brincar, então toda estrutura deve ser pensada para esse “início de vida” das crianças. Outro ponto, que é fundamental, é a formação dos professores para o trabalho com essas crianças, pois como disse o ex-ministro da Educação, Paulo Renato Souza, “Passamos a oferecer a perspectiva de que as creches passem a ter um conteúdo educacional e deixem de ser meros depósitos de crianças. Em todo o mundo está havendo a preocupação de desenvolver a criança desde o seu nascimento”. Na maioria das vezes, quando pensamos em creche, pensamos em um lugar para deixar nossos filhos, para que possamos trabalhar, estudar… porém, essa instituição é bem mais complexa, e importante. Sendo assim, cabe a nós- professores e futuros professores-, diferenciar esse trabalho.

Eu penso muito nisso quando lembro do meu estágio da faculdade. Como sou apaixonada pela Educação Infantil, eu consegui ficar na creche da minha instituição, UFBa, A Creche da UFBa, é vinculada a Pró-Reitoria de Assistência  Estudantil e Ações Afirmativas da UFBa- PROAE, e oferece- gratuitamente-, auxílio aos estudantes, professores e servidores. A instituição que oferece: 1 berçário (crianças de 4 meses a 1 anos); e salas  para o grupo 1 (crianças de 1 anos), G2 (crianças de 2 anos), e G3 (crianças de 3 anos); é uma referência. Lá as crianças ficam meio turno ou período integral, e nesse período elas fazem diversas atividades, e claro, brincam.

O brincar pode ser só se divertir para muitos, mas para o professor que está ali acompanhado, ele pode ser um simples pontapé para o desenvolvimento da criança. Além de promover a socialização dos pequenos, o brincar, desenvolve diversas habilidades- como coordenação motora-, melhorando o futuro desempenho escolar, propiciando assim resultados superiores ao chegar à pré-escola, e futuramente ao ensino fundamental.

Como já foi exposto, a primeira parte da meta 1 já venceu, e não foi cumprida, mas ainda podemos seguir a trilha dessa segunda parte. O prazo desta é mais longo, até 2020, e eu tenho um enorme desejo que essa meta seja cumprida, inclusive que consigamos ultrapassar. Mas, temos que ser realistas, eu já comentei sobre isso, entretanto é bom ressaltar, não podemos pensar que o Brasil com a sua grande extensão conseguirá ofertar uma estrutura adequada para crianças menores, assim como formação de professores voltados para esse público- que considero o fator mais importante-, em apenas 6 anos (2014-2020). Na pré-escola é possível ter em média 20 crianças por grupo; porém, na creche não é possível ter mais que 10 crianças por professor/sala. Sendo assim, a oferta tem que ser grande, e isso é um alto investimento.

Como já citei, sou uma grande defensora da Educação Infantil, principalmente da creche, pretendo fazer parte dos educadores que fizeram, e vão fazer, a diferença para que essa meta seja cumprida, o caminho é longo, e extremamente difícil, mas ainda temos 3 anos de muita luta. Sendo assim, defendo que os educadores que estão lá não são babás elitizadas, e devemos dar o primeiro passo investindo na formação de professor para esse trabalho. Trabalhar com bebês é muito delicado, e de suma importância, não estamos ali para ninar ou dar mamadeira, mas sim para mostrar a eles os diversos caminhos através da experimentação. O nosso olhar tem que ser cuidadoso e específico, devemos ser preparados para isso, então para que essa meta consiga ser realmente cumprida, precisamos dar o primeiro passo a partir da formação dos professores!

Referências

Centro de Referências em Educação Integral, Desvendando o PNE: os desafios da meta 1. Disponível em <http://educacaointegral.org.br/reportagens/desvendando-pne-quais-os-desafios-da-meta-1/>.Acesso em 5.jan.2017

Centro de Referências em Educação Integral, O aumento da oferta da pré-escola não garante a sua universalização. Disponível em <http://educacaointegral.org.br/reportagens/o-aumento-da-oferta-da-pre-escola-nao-garante-sua-universalizacao/>.Acesso em 5.jan.2017

Correio, Metas do Plano Municipal de Educação de Salvador devem ser cumpridas em dez anos. Disponível em < http://www.correio24horas.com.br/detalhe/educacao/noticia/metas-do-plano-municipal-de-educacao-de-salvador-devem-ser-cumpridas-em-dez-anos/?cHash=b2caeace2fceaa191b0cfd4cabbc4abc>.Acesso em 5.jan.2017

Leis Municipais, LEI Nº 9105/2016. Disponível em <https://leismunicipais.com.br/a/ba/s/salvador/lei-ordinaria/2016/911/9105/lei-ordinaria-n-9105-2016-aprova-o-plano-municipal-de-educacao-de-salvador-e-da-outras-providencias>.Acesso em 5.jan.2017

LEI Nº 13.005, DE 25 DE JUNHO DE 2014. Disponível em <http://www.planalto.gov.br/CCIVIL_03/_Ato2011-2014/2014/Lei/L13005.htm>. Acesso em 5.jan.2017

Observatório do PNE. Disponível em <http://www.observatoriodopne.org.br/metas-pne/1-educacao-infantil/indicadores> Acesso em 5.jan.2017

Planejando a próxima década. Ministério da Educação / Secretaria de Articulação com os Sistemas de Ensino (MEC/ SASE), 2014.